Maurício Galiotte explica demissões de Mattos e Mano Menezes do Palmeiras

A derrota para o Flamengo confirmou o que boa parte dos palmeirenses queriam: a queda de Mano Menezes e Alexandre Mattos. Mano não conseguiu segurar a pressão após críticas pesadas da torcida. Já Alexandre Mattos entrou em acordo com Maurício Galiotte e decidiu deixar o comando do futebol.

Galiotte explicou as demissões do Palmeiras

Mano que daria a coletiva, mas momentos depois da demissão, Galiotte assumiu o microfone e a mudança aconteceu. Os jornalistas esperaram o mandatário alviverde se posicionar.

Veja os principais pontos ditos por Galiotte:

Fim de um ciclo

“Neste momento a gente anuncia o encerramento de um ciclo. A saída do Mano Menezes, a gente agradece pelo período, e do diretor de futebol Alexandre Mattos, que liderou um projeto vencedor, com três conquistas nacionais importantes. O Palmeiras atravessou nos últimos anos momentos muitos difíceis. 2013 na situação que todos conhecem, 2014 de muita dificuldade, e 2015 com a inauguração da arena, coma chegada da Crefisa e da FAM chegou também o Mattos, que construiu através de muita competência e trabalho um projeto vencedor. O ciclo hoje se encerra. O Palmeiras pensa agora num modelo diferente para o próximo ano, uma forma diferente de ver o futebol. Vamos contratar outro profissional para a posição. O Palmeiras continua com a mesma filosofia. Vamos ao mercado buscar o melhor profissional na nossa avaliação para dar continuidade ao nosso projeto em 2020.”

De quem é a responsabilidade?

“Responsabilidade 100% minha. Todos que estão no Palmeiras têm meu aval, sou eu que assino. As pessoas que deixam o Palmeiras também. Decisão é sempre do presidente do clube. Crefisa e FAM chegaram em 2015 e são extremamente importantes para o clube. Em nenhum momento o patrocinador faz solicitação de contratação ou saída. As pessoas acabam transferindo responsabilidade, em nenhum momento a patrocinadora pediu para contratar ou demitir.”

Investimentos

“O Palmeiras tem equilíbrio financeiro, adotou uma estratégia agressiva neste ano. Não foi só o Palmeiras. Se analisarem vão ver números surpreendentes de muitos equipes. Com responsabilidade o Palmeiras tem condições de investir. Depende da saída de alguns jogadores ou não. O que eu quero assegurar é que o time do ano que vem será muito competitivo.”

Modelo de jogo pretendido

“A gente busca um modelo de jogo que seja competitivo. Esse é o perfil que o Palmeiras busca no mercado. Em relação a nomes não vou citar. Temos grandes jogadores no elenco. Não podemos esquecer que há tres ou quatro meses o Palmeiras era considerado o melhor elenco do Brasil. É uma mudança de rota. Temos de avaliar. O trabalho tem muitos aspectos positivos, em termos de bons valores, dos processos internos. Neste momento tem de ter equilíbrio para trabalhar e buscar um ano de 2020 melhor. Não significa que está tudo errado. Quando ganha não está tudo certo e quando perde não está tudo errado. Precisa ter equilíbrio.”

Saídas do elenco

“Você vai saber quem são no planejamento do ano que vem (qual jogador não teve amor a camisa). Contratamos o Mano por convicção, os trabalhos não vieram. Por isso a gente pensa em um trabalho diferente para o próximo período.”

LEIA MAIS:
URGENTE! Alexandre Mattos não é mais diretor de futebol do Palmeiras
URGENTE! Mano Menezes não é mais técnico do Palmeiras
Siga nosso Instagram