Presidente do Palmeiras assumiu a responsabilidade pela má fase e negou exclusões de Roberto Frizzo e o técnico Luiz Felipe Scolari.

O Palmeiras perdeu de 3 a 0 do Internacional em casa. O resultado surpreendeu os torcedores, que ficaram revoltados e viraram de costas para o time. Assim que o juiz apitou o final do jogo, a paciência dos torcedores literalmente terminou com o jogo. O vice de futebol, Roberto Frizzo, que estava nas cadeiras do Pacaembú, foi plenamente hostilizado pelos torcedores e só não foi agredido por conta da presença dos seguranças do Palmeiras no local.

O técnico Luiz Felipe Scolari não foi vaiado, mas os jogadores foram xingados até deixarem o gramado. O presidente do Palmeiras, Arnaldo Tirone, assumiu toda responsabilidade pelos últimos fracassos.

“Trocar? Não dá. Ele é vice-presidente, tem meu apoio. Eu sou o responsável, o presidente é o responsável. Eu acho o time muito bom, o que falta é tranquilidade e entrosamento para marcar,” disse.

Sobre Felipão, Tirone também confirmou que o treinador não deixará o Alviverde. “Ele não está liberado porque não quero que ele saia. Aceitamos a manifestação dele, mas não penso em mudar a comissão nem agora e nem no futuro,” concluiu o presidente.

O Palmeiras enfrentará o Avaí, domingo, na Ressacada.

Comentários

comentários