À caminho da mediocridade total, jogadores fazem corpo mole e Palmeiras perde mais uma no Brasileirão. Rebaixamento continua se aproximando.

O Palmeiras não tem mais um time. Têm um catado de jogadores que estão fazendo corpo mole contra o técnico Luiz Felipe Scolari. E quem sofre com tudo isso é o torcedor. De maneira depressiva, Palmeiras perde de 2 a 1 e continua despencando na tabela do Brasileiro 2011.

O jogo

Felipão escalou o time com algumas novidades. Recuperado de lesão, Thiago Heleno tomou o lugar de Henrique. Rivaldo entrou na lateral esquerda enquanto Tinga pegou a vaga de Maikon Leite, ajudando na armação do time. Apenas Fernandão atuou como atacante, enquanto Valdívia ficou responsável pela armação contando com o apoio de Tinga e Luan. Mas esse apoio, infelizmente, não veio.

Logo aos 14 minutos, o pendurado Valdívia levou um cartão amarelo idiota, após discutir com o juiz uma falta sem motivo no meio campo. Ou seja, se já não bastasse duas partidas ausentes – por conta da convocação pela seleção do Chile – o meia palmeirense ficará mais uma partida fora.

Incrivelmente, o Palmeiras exagerava na arte de errar passes. No único lance que teve, Valdívia serviu Luan, que serviu Fernandão, que chutou medonhamente nas mãos do goleiro Renan. Isso mesmo, na única chance real de gol.

Na sequência, o gol dos mineiros: Neto Berola recebeu, passou por dois marcadores e só teve o trabalho de mandar a bola no canto de Deola. Minutos antes, o goleiro palmeirense fez excelente defesa após chute do atacante, que ainda rabiscou a trave. 1 a 0 Atlético-MG.

Naquela altura, os mineiros eram melhores na partida. Mas não por competência própria, e sim por incompetência do time alviverde. Desinteressado, o Palmeiras proporcionou muitas chances ao Atlético, que procurava não bater na sua ruindade.

Para a segunda etapa, Felipão promoveu a primeira substituição: sacou Fernandão e colocou Vinícius. Logo no início da partida, o Atlético fincou o segundo: Luan errou um passe bisonho, e os mineiros partiram para o ataque. André passou de calcanhar e Felipe Soutto só teve o trabalho de escolher o canto. 2 a 0 Atlético-MG.

Felipão ainda fez duas alterações na sequência: entrou Maikon Leite no lugar de Tinga e João Vitor no lugar de Márcio Araújo.

Minutos depois, Maurício Ramos fez falta desnecessária em Daniel Carvalho e definitivamente mereceu o vermelho. Pareceu de propósito. Na sequência, Valdívia pegou feio Pierre e acabou levando o segundo amarelo, seguindo o mesmo caminho do zagueiro palmeirense. O Palmeiras teria a impossível missão de empatar o jogo, fora de casa, contra uma adversário superior, com nove componentes apenas.

Mesmo com dois atletas à menos, o Palmeiras se reorganizou. Chico começou à fazer função de zagueiro, enquanto Luan e João Vitor se revezavam na armação. E foi com um pouco de organização que o gol saiu: Maikon fez boa jogada e cruzou na cabeça de Luan, que ganhou do pequenino Pierre: 2 a 1 Atlético-MG. Na sequência, o Palmeiras teve quatro chances de empatar em cobranças de escanteio, mas não teve êxito.

A sorte do clube alviverde é que todos os adversários da parte de baixo da tabela perderam seus compromissos. O que mais ameaça o Palmeiras, agora, é o Ceará. Mas mesmo assim os nordestinos precisam ter uma reação impressionante, e o Palmeiras não vencer nenhum de seus jogos, para o pior acontecer. 

O maior problema é a falta de empenho e clara dificuldade (e falta de vontade) de criar jogadas e definitivamente vencer suas partidas. As próximas rodadas prometem ser pavorosas. E o pior: o nosso rival alvinegro pode comemorar o pentacampeonato Brasileiro às nossas custas, na última rodada do Brasileirão. E do jeito que Arnaldo Tirone é passivo, vai aceitar entregar as faixas para o rival. E ainda vai tirar uma foto com o elenco adversário. É mole?
FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 2 X 1 PALMEIRAS

Local: Estádio Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)
Data: 30 de outubro de 2011 (domingo)
Horário: 18h (horário de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Edinei Mascarenhas (RJ) e Marcos Peçanha (RJ)
Cartões amarelos: Pierre, Daniel Carvalho (Atlético-MG). Cicinho (Palmeiras)
Cartões vermelhos: Maurício Ramos e Valdivia (Palmeiras)
Gols:
Atlético-MG: Neto Berola, aos 36 minutos do primeiro tempo, e Fellipe Soutto, aos 17 minutos do segundo tempo
Palmeiras: Luan, aos 38 minutos do segundo tempo

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro; Carlos César (Serginho), Réver, Leonardo Silva e Triguinho; Pierre, Fellipe Soutto, Daniel Carvalho (Magno Alves) e Bernard; André e Neto Berola (Richarlyson)
Técnico: Cuca

PALMEIRAS: Deola; Cicinho, Thiago Heleno, Maurício Ramos e Rivaldo; Chico, Márcio Araújo (João Vitor), Tinga (Maikon Leite) e Valdivia; Fernandão (Vinicius) e Luan
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Comentários

comentários