Em jogo sem validade e com um time recheado de reservas, Palmeiras vence o Guarani e continua na décima posição

O técnico Luiz Felipe Scolari colocou um time recheado de reservas para enfrentar o Guarani. O foco da equipe principal é a Copa Sulamericana, com confronto diante do Atlético Mineiro na próxima quarta-feira, no Pacaembú. Na primeira partida, 1 a 1. No jogo de volta, em casa, o Palmeiras pode empatar sem gols que leva a vaga para as semifinais da competição.

Como o Verdão veio com reservas e sem ambição, o Guarani tinha a necessidade de se impor bem mais que o próprio Palmeiras, diante de sua torcida. Com uma atitude ofensiva, o time campineiro veio para cima. O time de Scolari começou a ser faltoso e algumas ameaças ocorreram em cima de Bruno. A primeira delas foi aos seis minutos, quando Baiano bateu falta na intermediária e mandou no ângulo. Atento, Bruno espalmou.

Oito jogadores alviverdes foram poupados: goleiro Deola, o zagueiro Danilo, os volantes Edinho, Márcio Araújo e Marcos Assunção, o meia Lincoln e os atacantes Luan e Kleber. Sem contar o goleiro Marcos e o meia Valdívia, que estão em fase final de recuperção física.

Felipão preferiu escalar uma equipe com três zagueiros e liberou os dois laterais para descer. Vitor e Gabriel Silva abusavam da correria, mas o passe final era desastroso, impedindo a bola de chegar ao destino.

Baiano arriscou outro chute aos 35, mas Bruno salvou. Depois do susto, o time de Scolari começou a controlar mais a bola e explorar com cuidado as laterais, sempre procurando não deixar sobras. Com um jogo fraco tecnicamente, o primeiro tempo se encaminhada para um empate. Antes de terminar, Vitor bateu falta pela direita e encontrou o zagueiro Leandro Amaro livre, que só escorou e abriu o placar. 1 a 0 Palmeiras.

Com o gol, o Guarani sentiu a pressão, principalmente por figurar entre os últimos do Campeonato e seriamente ameaçado de rebaixamento. Em lance único, o Guarani quase marcou em contra ataque. Apodi e Mazola bateram boca e tiveram que ser contidos pelos companheiros e também pela arbitragem.

Percebendo o nervosismo da equipe visitante, o Palmeiras começou a comandar o jogo com inteligência. Mazola arriscava chegar sozinho, mas era desarmado pela zaga palestrina. O Verdão, por sua vez, não tinha a mínima vontade de chegar ao gol bugrino. A vitória viria com o tempo, já que a equipe palmeirense nada fez para esticar a vantagem.

Com a vitória, o Palmeiras igualou o mesmo número de pontos do São Paulo, que foi derrotado pelo Corinthians. Agora, o Verdão retoma e volta todas suas forças para o confronto decisivo de quarta-feira, quando enfrenta o Atlético Mineiro pelo segundo jogo das semifinais da Copa Sulamericana. Os mineiros devem jogar com uma equipe reserva, já que também figuram na zona de rebaixamento do Brasileiro e a prioridade é não cair de novo para o descenso.

Local: Arena Barueri, em Barueri (SP)
Data: 7 de novembro de 2010, domingo
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Guilherme Cereta de Lima (SP)
Assistentes: Rogério Pablo Zanardo e Junivan Rodrigues de Souza (ambos SP)
Cartões amarelos: Vinícius, Maurício Ramos e Patrik (Palmeiras)
GOLS:
PALMEIRAS: Leandro Amaro, aos 41 minutos do primeiro tempo.

PALMEIRAS: Bruno; Maurício Ramos, Leandro Amaro e Fabrício; Vitor (Luís Felipe), Pierre, Rivaldo (Tinga), Patrik e Gabriel Silva; Ewerthon (Vinícius) e Dinei
Técnico: Luiz Felipe Scolari.

GUARANI: Emerson; Apodi, Aislan, Ailson e Moreno (Diego Barboza); Baiano, Paulo Roberto, Renan (Geovane) e Preto; Mazola e Reinaldo (Diogo)
Técnico: Vágner Mancini.

Comentários

comentários