Atacante palmeirense soltou os cachorros no técnico palmeirense. E agora, como fica a situação?

A baixaria no Palmeiras chegou em seu limite total. O atacante Kleber, afastado do clube por influência do técnico Luiz Felipe Scolari, deu entrevista para a TV Bandeirantes nesta segunda-feira, véspera de feriado.

“80% do grupo não gosta do Felipão e 90% dos funcionários do clube não se dão bem com ele. A escolha da diretoria foi ficar com ele e me afastar, mas não me arrependo de nada. Muita gente gostaria de ter a atitude que tive”, disse o jogador.

“Ele coloca a torcida contra os jogadores. Disse que a gente parecia jogar partida de solteiros contra casados, falou que nosso time era como uma mulher feia e ainda afirmou na frente do grupo inteiro: ‘Não tenho culpa se eu peço a contratação do Emerson Sheik e me trazem o Ricardo Bueno’. Todos os jogadores ficam chateados com isso”, completou.

Kleber ainda atacou Felipão no caso Pierre. Segundo o atacante, o volante palmeirense – negociado com o Atlético-MG – foi vítima de diversas injustiças perante o treinador. “O Pierre é como um irmão para mim e eu vi ele sair escurraçado do Plameiras depois de 4 anos no clube. Na despedida dele, nós choramos juntos no vestiário. Era pra ele ser vendido antes, mas não foi porque ele queria ficar no clube. Ele não foi bem tratado, teve um problema na planta do pé e jogava no sacrifício, mas mesmo assim saiu por baixo”, concluiu o jogador, que está negociando com o Grêmio-RS.

Nem o técnico e nem a diretoria do Palmeiras se pronunciaram sobre as declarações do ex-atacante do clube.

Comentários

comentários