Jogador palmeirense pretende priorizar a família, que não quer mais morar no Brasil após sequestro relâmpago.

Por Thiago Gomes

Os problemas no Palmeiras parecem surgirem do nada. Desta vez, o meia Valdívia pode deixar o clube após sofrer sequestro relâmpago, em São Paulo, semana passada.

“Tenho contrato até 2015, mas não creio que posso resistir sem a minha família,” disse a uma rede de televisão chilena.

A sua esposa, a modelo Daniela, disse que não quer mais retornar ao Brasil e que pretende continuar no Chile. “Não creio que possa aguentar vivendo longe dos meus filhos, da minha família. É uma decisão difícil, mas creio que vá prevalecer o calor humano, a vida familiar,” completou Valdívia. “Por um lado tenho contrato até 2015, mas vou estar longe da minha família. Vai ser algo determinante na decisão. Se Daniela estivesse no Chile com as crianças, já seria uma perda muito grande para mim, mas agora, com tudo o que aconteceu,” concluiu o chileno.

Valdívia contou maiores detalhes do assalto. Os bandidos tentaram abusar de sua esposa e roubaram R$ 20 mil do casal. Em nenhum momento os marginais identificaram Valdívia, que confirmou ser jogador de futebol.

O meia é esperado no treino desta tarde, no Centro de Treinamento da Barra Funda, em São Paulo. Caso Valdívia resolva deixar o clube, Daniel Carvalho é o substituto direto do meia. A diretoria ainda tenta reforços para o setor.

Na quarta, o Verdão tem confronto diante do Grêmio, pela semifinal da Copa do Brasil 2012.

Comentários

comentários