O Palmeiras venceu o Ceará pelo placar de 2 a 1 no Pacaembu. Mesmo com o triunfo confirmado, o término da partida foi recheado de reclamações. Alexandre Mattos, executivo de futebol desceu e conversou com a imprensa. Atacou a arbitragem e disse que André Luiz Freitas de Castro, árbitro da partida, sabia que o próximo confronto palmeirense era justamente contra o Flamengo.

O técnico Luiz Felipe Scolari também não poupou críticas e falou sobre os amarelos distribuídos por Freitas. Na súmula eletrônica, o árbitro descreveu amarelo para Lucas Lima como uma “sequência de faltas”. Na realidade o meia palmeirense cometeu apenas uma. Já o amarelo de Mayke foi por atrasar cobrança de falta, mas o árbitro relatou atraso na cobrança de lateral.

“Existe um padrão de preenchimento da súmula eletrônica, e ele [o árbitro] errou ao não preencher o campo com “tiro livre direto” e sim com “arremesso lateral”. O cartão foi corretamente aplicado,” disse Marcos Marinho, chefe de arbitragem da CBF.

Sobre as declarações de Mattos e Felipão, Marinho desqualificou. “São ilações descabidas. O Flamengo também reclama, tenta pressionar. Quem vai decidir se algum deles passou do ponto é o tribunal [o Superior Tribunal de Justiça Desportiva],” adicionou.

Por fim, Marinho afirmou que os cartões foram bem distribuídos e que o árbitro seguiu as regras. “Todos os cartões foram bem aplicados,” disse ao telefone para a reportagem do canal Globo Esporte.

Comentários

comentários